Publicações

Quem deixou a pegada de carbono no Chile?

Para avançarmos em direção à políticas públicas concretas em prol da justiça climática, é necessário identificar os grupos que são mais responsáveis pela emissão do gás carbônico. 

O nosso estudo lançado em parceria com a Fundação Friedrich Ebert possibilitou a medição da pegada de carbono a partir da distribuição de renda no Chile. Concluímos que a população com maior renda emite mais gases de efeito estufa.

É de extrema importância considerar a renda na criação de políticas públicas de mitigação da pegada de carbono a partir da perspectiva da justiça climática. E mais: é urgente a criação de um banco de dados públicos sobre o impacto ambiental dos produtos e serviços consumidos no Chile e em toda a América Latina.